Zon anuncia que vai concorrer ao 5º canal sem participar de consórcio

Li a notícia no Diário Económico, em reportagem de Alda Martins.

“Está decidido. A dona da TV Cabo vai concorrer sozinha ao quinto canal de televisão que deve iniciar emissões em 2010, disse Rodrigo Costa, em entrevista ao Diário Económico. Ficam assim sem efeito as conversas com os accionistas Paulo Fernandes (Cofina) e Joaquim Oliveira (Controlinveste) para a possibilidade de criar um consórcio para o projecto.

O presidente executivo da Zon assegura que “não houve qualquer problema entre as partes só que chegou o momento de optar se estes investidores participavam de forma directa ou indirecta [como accionistas da empresa] e foi tomada a segunda opção”.

Leia aqui a reportagem completa.

Anúncios

One response to “Zon anuncia que vai concorrer ao 5º canal sem participar de consórcio

  1. Durante estes últimos tempos aquilo que mais me tem surpreendido é a ZON ser apresentada pela CS como único concorrente ao 5º serviço de programas FTA perante a inércia da própria CS e a tímida contestação da PT.

    A PT e a ZON são concorrentes desde o spin off.

    A PT ganha o concurso da TDT.

    Como elemento impulsionador da TDT é atribuída uma nova licença FTA – limitada à sua distribuição digital.

    Essa licença FTA, assim como todas as restantes licenças estão protegidas. O sinal pode não ser entregue a outros operadores de distribuição (em contrapartida os distribuidores são sempre obrigados a emitir “must carry”).

    A verdadeira diferença para a TDT seria um serviço de programas exclusivo.

    Essa é a forma mais viável de conseguir uma migração rápida do analógico para o digital.

    Mas o único concorrente a esse serviço impulsionador da TDT anunciado até ao momento pela CS é a ZON.

    A ZON é a grande concorrente da PT (logo, a principal interessada no falhanço da TDT) e por isso, aquela que obviamente irá sempre permitir a distribuição do serviço impulsionador da sua maior concorrente na ZON TV Cabo.

    O 5º serviço FTA perde o efeito impulsionador da TDT.

    A PT deixa nas mãos do seu maior concorrente aquilo que a poderia diferenciar das restantes distribuidoras?

    E tudo isto é possível? Há alguma coisa que me esteja a escapar?

    A lei do pluralismo e não concentração refere-se a órgãos de CS.

    O Estado garante que os grupos de CS não concentrem verticalmente.

    Artigo 17.º
    Limites relativos à distribuição
    1 – É proibida a exploração abusiva de uma posição dominante no mercado da distribuição
    de produtos ou serviços fornecidos por empresas que prosseguem actividades de
    comunicação social, assim como quaisquer acordos ou práticas concertadas que tenham
    como resultado impedir ou dificultar, de forma injustificada, o acesso de produtos ou
    serviços concorrentes às mesmas redes de distribuição, ou o acesso por distribuidores
    concorrentes a esses produtos ou serviços, nos termos previstos no regime jurídico da
    concorrência.
    2 – A ERC notifica a autoridade reguladora da concorrência quando, no âmbito das suas
    atribuições, verifique, oficiosamente ou a pedido de qualquer interessado, existirem
    indícios da ocorrência dos comportamentos referidos no número anterior, para que
    esta autoridade inicie o processo adequado.

    Sérgio conhece qual (is) o(s) Código(s) e artigo (s) que impede(m) que o percurso de concentração seja feito a partir das redes de distribuição?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s