Os motivos que levam a imagem da TDT a falhar em Portugal

O texto a seguir é do Engenheiro de Telecomunicações Eliseu Macedo, escrito exclusivamente para o blog.

Nas últimas semanas, sobretudo desde o apagão analógico, têm-se verificado muitas falhas de recepção na rede TDT, originando milhares e milhares de queixas. Estas falhas acontecem sobretudo à noite e são mais frequentes nos dias quentes.

Na verdade, esta situação não é recente e tem-se constatado sistematicamente este tipo de falhas desde o início da rede, em Abril de 2009. Apenas o número de pessoas que a verifica é agora muito maior, em virtude da tardia adesão à TDT, fruto de Portugal ter, senão a mais pobre plataforma TDT do Mundo, claramente a TDT mais fraca da Europa.

Como se não bastassem todos os aspectos negativos que rodearam a implantação, a saber:

  • O MUX A devia ter 6 serviços e tem apenas 4 (falta o 5º canal: Concorreram ZON e Telecinco, processo está em tribunal; falta o canal HD – como se tolera que os detentores da licença continuem impunes ao não emitir conteúdos neste canal?)
  • Os 5 MUXs B a F nunca foram para o ar. Houve 2 candidatos, mas o que ganhou (Portugal Telecom) desistiu. Por que razão não se abre novo concurso internacional?
  • A cobertura terrestre do único MUX existente é francamente má, inferior ao nível mínimo de praticamente todos os países em que se aproxima da barreira dos 98 a 99% e é inclusivamente inferior à cobertura anterior da rede analógica (95%).
  • Equipamento caro, em virtude de se ter escolhido um codec mais eficiente que permite maior número de canais a ser emitidos, mas que não está a ser rentabilizado.

Temos agora mais um factor negativo para quem não deseja subscrever qualquer pacote pago para ver a televisão que sempre viu até aqui: falhas constantes na recepção do sinal.

A que se devem então estas falhas? Ao contrário do que por vezes se lê, não se devem a acções deliberadas por parte do detentor do direito de utilização de frequência (PT) para “cortar” o sinal nem muito menos a intervenções na rede de emissores para melhorias. A verdade é muito mais simples: estas falhas devem-se a um fenómeno natural muito conhecido (formação de ductos) na Troposfera e ao facto da rede portuguesa trabalhar em frequência única em todo o território continental (SFN).

Os parâmetros actuais da rede TDT em frequência única são estes:

Para uma rede trabalhar correctamente em frequência única, é muito importante dimensionar adequadamente a localização dos emissores, potência de emissão, diagrama de radiação das antenas, etc. O parâmetro de projecto mais importante é o chamado “intervalo de guarda” que corresponde em Portugal a ¼ da duração de um “símbolo” e que é equivalente 224us (Um símbolo é obtido através da modulação de um conjunto de bits).

Para que serve o intervalo de guarda? O intervalo de guarda funciona da seguinte maneira:

  • Todos os emissores TDT estão sincronizados entre si, logo todos emitem o mesmo símbolo ao mesmo tempo
  • Um receptor situado na área abrangida por mais do que um emissor TDT que se situem a distâncias diferentes vai receber 2 símbolos em momentos diferentes, já que como os emissores estão a distâncias diferentes, o sinal do emissor mais distante vai sofrer mais atraso do que o sinal do emissor mais próximo
  • O receptor vai escolher um dos sinais para referência, vai adquiri-lo e a seguir vai ficar “à espera” de mais réplicas até ao final do Intervalo de guarda. Qualquer réplica recebida dentro desse intervalo vai ser interpretada como o mesmo símbolo e portanto reforça o sinal.
  • Quando o intervalo de guarda (os 224 us) se esgotam, o receptor entra no período de recepção do símbolo seguinte e vai considerar que qualquer sinal recebido nesse intervalo corresponde ao símbolo seguinte.

É importante referir qual a distância que um sinal viaja, à velocidade da luz, neste “intervalo de guarda”:

Da física temos: d (distância) = v (velocidade).t (tempo)

Resulta então que d= 3e8 x 224e-6, ou seja a distância percorrida por um sinal em 224 microssegundos é de 67.2 km.

O que acontece então se um receptor receber sinal dum emissor próximo e simultaneamente receber sinal de um emissor TDT mais longínquo? Lembremo-nos que toda a rede TDT portuguesa trabalha na mesma frequência, pelo que esta situação pode resultar em reforço de sinal ou destruição de sinal consoante esta condição:

  • a) O 2º emissor está dentro da área de intervalo de guarda, isto é, mais próximo que 67.2 km → o sinal é reforçado, interferência construtiva
  • b) O 2º emissor está fora da área de intervalo de guarda, isto é, mais distante que 67.2 km → o sinal sobre uma interferência destrutiva, podendo mesmo aniquilar a recepção.

Isto é uma abordagem algo simplista porque teremos também que contar com as reflexões do próprio emissor, isto é, não é sequer necessário existirem vários emissores para que uma rede SFN funcione mal, ou pelo menos cause problemas em determinados locais. Na prática, a distância segura de 67.2 km vai ser muito menor.

Vemos portanto que cabe à entidade detentora da rede TDT assegurar que nenhum emissor TDT é captado a mais do que 67 km de distância. Isto não é uma tarefa fácil. Normalmente o que se faz é uma escolha criteriosa dos locais de emissão, sistema radiante e potência emitida. Mas existe mais um factor que parece que tanto Anacom como PT esqueceram neste processo: a variabilidade intrínseca da atmosfera que provoca alterações brutais do alcance dos sinais rádio.

É isto que está a afectar a rede Portuguesa: o facto de se ter escolhido uma única frequência de operação em todo o continente e a variabilidade do alcance do sinal devido a mudanças na atmosfera. Na verdade, um sinal rádio tanto pode viajar apenas 30km como no dia seguinte poder alcançar mais de 300 km. Estas variações podem mesmo ser previstas consoante a pressão atmosférica, temperatura, humidade, etc. Sob determinadas condições, os sinais das faixas VHF e UHF podem facilmente ultrapassar a linha de vista e percorrer centenas ou até milhares de kilómetros, muito para além do previsto em situação normal.

William R. Hepburn é um meteorologista e entusiasta de rádio famoso por ter desenvolvido um algoritmo de previsão deste fenómeno de propagação para além de linha de vista. Podemos ver na sua página em http://www.dxinfocentre.com/tropo_eur.html a previsão de propagação para praticamente todo o mundo. Vejamos um exemplo da previsão para 5a Feira da semana passada, uma semana muito afectada por falhas na rede TDT:

Podemos constatar como Portugal, sobretudo a costa litoral, é muito afectada por propagação melhorada. Isto provocou falhas generalizadas de recepção TDT, pois a distância de segurança de 67.2 km foi largamente ultrapassada pelos emissores TDT nacionais.

Como evitar o problema? Como a Anacom ainda não consegue alterar as condições de propagação só existe uma coisa a fazer: acabar com a rede SFN e passar a rede TDT para MFN, ou seja, sistema em multifrequência: cada região com a sua frequência de modo a que quando este problema de propagação surja não haja interferência entre regiões e se consiga receber TDT correctamente. Foi o que Espanha fez, nomeadamente na Galiza. Muitos Multiplexers de Santiago de Compostela que estão (ainda) em SFN (e podem alcançar centenas de km) foram desconectados em Vigo da rede SFN e emitem a partir deste emissor em frequências (canais UHF) alterados.

O mesmo se devia fazer em Portugal. Adoptar um esquema MFN, que podia inclusivamente re-utilizar a antiga rede analógica, já que deixaria de haver problema de interferência destrutiva. Por exemplo, o Norte podia ser servido numa frequência a partir do Monte da Virgem e o Centro servido por outra frequência a partir da Lousã. Os antigos retransmissores analógicos poderiam também ser reactivados em pequenos grupos SFN do emissor principal MFN.

A rede SFN tal como está, manifestamente não serve os interesses da população. Uma nota da EBU (http://www.analysysmason.com/PageFiles/11730/EBU%20on%20SFN.pdf) aconselha a que as redes SFN tenham uma diâmetro máximo de 150 a 250km, muito diferente do que existe actualmente. Essa dimensão, pode no entanto corresponder facilmente às zonas de influência dos antigos emissores analógicos.

É interessante verificar como Portugal dispõe de direitos já negociados para ter em operação 3 redes nacionais em MFN, com frequências distintas por região. O mapa seguinte é um planeamento efectuado pela própria Anacom, no qual se verificam os canais UHF de 3 Multiplexers, região por região:

Este planeamento foi feito para colocar em prática depois do apagão analógico, em que já se teria todo o espectro UHF e VHF disponível, mas não tem ainda em conta a desafectação dos canais 61 a 69 para emissões televisivas. Estes 9 canais passaram a ser utilizados pela 4a geração móvel.

No entanto, é sabido que em posterior reunião com autoridades espanholas, Portugal mantém intactos os direitos a 3 redes Nacionais em MFN, pelo que será fácil substituir os 2 casos de frequências acima do canal 60.

Em conclusão: se bem que o MFN, em pequenas redes SFN, pode ainda não resolver todos os casos de recepção deficiente (os ecos do próprio emissor continuam a ser um problema) pode no entanto ser a solução para as graves deficiências notadas nos últimos tempos devidos às variações de condições de propagação e que originaram milhares e milhares de queixas. Estas variações serão uma constante todos os anos, principalmente no Verão. Portugal dispõe não de um, mas sim de 3 direitos negociados com Espanha para ter no ar 3 Multiplexes diferentes e em MFN. O apagão analógico já se deu, o espectro está aí. A população gastou com esforço muito dinheiro para se adaptar. Merece agora um serviço condigno.

67 responses to “Os motivos que levam a imagem da TDT a falhar em Portugal

  1. Luís Miguel Loureiro

    Este artigo é SERVIÇO PÚBLICO de primeiríssima qualidade. Serviço que deveria ser garantido por entidades como a Anacom. Hein? Como? Disse: Anacom?? Don’t make me laugh!

  2. Simples e esclarecedor, mas como é que a ANACM não faz o trabalho de casa? Sempre me fez confusão todos os emissores trabalharem na mesma frequência.

  3. Qual a fonte desse mapa? Algum documento da anacom (link)?

  4. Basta procurar um pouco na página da Anacom.
    http://www.anacom.pt/streaming/doc_consulta_vfinal.pdf?contentId=886461&field=ATTACHED_FILE

    Mas acredito que as frequências irão ser alteradas, pois aliás tal como é dito no artigo, este documento de onde foi retirado o mapa é anterior à desafectação da banda 790-862 MHz para transmissões televisivas.

  5. Um drama chamado TDT ?
    Um drama chamado anacom

  6. uma vergonha

  7. Tenho uma dúvida: como não é fisicamente possível cobrir zonas tão vastas como as apresentadas no mapa apenas com um emissor para cada uma das hipotéticas frequências, teriam que existir vários emissores a emitir cada uma delas, ou seja, as tais mini-redes SFN de que o Eng. Eliseu fala, certo? E quem é que nos garante que dentro dessas mini-redes o “fenómeno” não ocorreria na mesma? Ou que o hipotético canal 56 da região de Castelo Branco não iria interferir com o hipotético canal 56 da região de Évora/Beja? Ou o 48 e 49 da região de Lisboa e Vale do Tejo com o 48 e 49 da região da Guarda? Ou vice-versa em ambos os casos?

    • Dúvidas pertinentes. As áreas do mapa não são tão vastas assim. Os antigos emissores analógicos estão em boa posição para cobrir áreas desta dimensão, desde que em MFN. Agora, obviamente que dentro de cada área vão sempre existir algumas zonas sombra e aí sim, penso que a solução será utilizar retransmissores (e não emissores) tipo gap-filler, em SFN com o emissor que o alimenta. Como as zonas sombra são limitadas normalmente pelo relevo (daí o sinal ser dificil de lá chegar) também as hipoteses de interferência são diminutas.
      O planeamento de canais zona a zona é algo muito sensível, tendo que conciliar-se os direitos de Espanha com a distância segura para a re-utilização duma mesma frequência. Normalmente podemos re-utilizar a mesma frequência a uma determinada distância que varia consoante pelo meio haja ou não obstáculos naturais que bloqueiem a propagação. As zonas mais perigosas para reutilização de frequencia são no Litoral…

  8. Parabéns pelo excelente trabalho aqui postado!
    Só lamento que a RTP não faça mais trabalhos para divulgar toda esta situação, só teria a ganhar.
    cumprimentos
    Fernando Andrade

  9. A Anacom acaba de dar TOTAL razão a este artigo, deliberando o seguinte:
    http://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1127427

  10. Tivémos de pagar as “boxes” para vermos a tal TDT “mal e porcamente” cheia de falhas !!! e pergunto eu: Para onde vai o dinheiro que todos os meses pagamos (obrigatoriamente) com a factura da electricidade ? Não será que temos também alguns direitos ? Porque não é a Anacom ou qualquer outra entidade a pagá-las, já que o negócio é deles ! O Estado passa a vida a injectar dinheiro na RTP, no entanto enchem-nos de publicidade, como os canais privados que não têem apoios. Há muitas perguntas sem resposta…

  11. Frequências alternativas TDT – para quem tiver dificuldades em receber a TDT deve sintonizar a partir de agora as seguintes frequências:

    Zona Norte Litoral: (Emissor do Porto – Monte da Virgem) Canal 42 UHF – Abrange distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro Norte, Viseu Noroeste

    Zona Centro: (Emissor da Lousã) Canal 46 UHF – Abrange distritos de Aveiro Sul, Viseu Sul, Guarda Sudoeste, Coimbra, Leiria, Castelo Branco Oeste, Santarém Norte.

    Zona Centro Sul: (Emissor de Montejunto) Canal 49 UHF – Abrange distritos de Santarém, Leiria, Lisboa, Setúbal Norte, Portalegre Oeste, Évora Oeste.

  12. Pena que os emissores do Mendro e / ou Fóia não tenham também frequência alternativa no ar! Alentejo e Algarve também precisam e não é pouco!

  13. Informo que ontem (29/05/2012) estiveram técnicos da PT no alto de S. Mamede (Portalegre) a proceder a trabalhos directamente relacionados com a TDT, e mais posso adiantar que faltará apenas executar a ligação logo que a Anacom o autorize. Mais pormenores em breve todos os saberemos.

  14. O mendro, outrora um dos mais potentes do pais, e com todas as infraestruturas necessárias deveria estar a funcionar em pleno, e não só para Portel e Moura. Claro que para isso teriamos que ter frequências diferentes. A rede analógica instalada no Mendro servia todo o Alentejo e algumas zonas do Algarve. Os Eng.’s que projectaram a rede digital acharam que eram mais sábios que os que instalaram a rede analógia, e não quiseram saber de 50 Anos de experiencia e foram instalar o emissor em Beja. Porquê? E quêm os convence agora a efectuar mais investimentos (naturalmente pagos pelo contribuinte) e colocar mais e melhores emissores, e alterar as frequencias para melhorar o serviço?

  15. Em Espanha quantos canais existem?
    e em Portugal?
    e as radios fugiram
    é tudo uma autentica vergonha
    as televisões pagas não deixam porque senão ninguem as via
    estamos neste belo PORTUGAL

  16. Algumas falhas podem ser explicadas pelos ductos, outras pelo negócio da PT, é verdade que as condições atmosféricas variam e alteram a propagação dos sinais, provocando intereferências, mas no caso que presenciei na casa da minha avó em Sacavém tenho 85% de certeza que se tratou mais de um ajuste de potência, talvez para diminuir a propagação e assim conseguir um maior controlo da cobertura, mas no meu ver não é essa a principal razão.
    A PT não tem a minha confiança é um operador histórico com inúmeras ocorrências de manipulação, contratos abusivos etc… e para mim foi só mais uma forma de arranjarem clientes para os seus pacotes: sapo, meo.

  17. Sobre o teme em foco:

    Uma crítica pela positiva
    Uma crítica pela negativa
    Uma dúvida

    Estou a cerca de 20 km a sul do Montejunto, recebo a emissão do canal 49 com um óptimo sinal, que permite fixar a imagem mesmo com uma antena interior.
    Pena que não exista mais informação sobre novos emissores ou novas frequências, um simples Power Point no canal 5 seria uma perfeita divulgação.
    Finalmente, alguém sabe o que irá acontecer, a estas frequências após terminar a licença de 180 dias (voltarei novamente ao satélite)?

    Cumprimentos.

  18. Telefonei para a PT a perguntar se era necessário reorientar as antenas para no meu caso Montejunto e nada sabem sobre o assunto. Os portugueses continuam a ser tratados como lixo! A PT esmera-se a telefonar e enviar mensagens de marketing dos seus produtos! Profundamente lamentável!

  19. isto da tdt so vei a encher os bolços, a algens que estam a levar furtunas para montarem o iquipamento,para se ver so 4 canais.em espanha teêm 21 canais livres

  20. Pode um emissor receber o sinal unicamente por fibra óptica?

  21. Pingback: Anónimo

  22. Uma Vergonha

  23. Segundo informações que tive de técnicos da PT o sinal que alimenta os emissores TDT é retirado de fibra e convertido.
    Quanto ao artigo acima só pode ter sido escrito por quem percebe muito do assunto.
    No meu caso estou a receber o sinal proveniente do emissor colocado em Montedor, Carreço 15km a norte de Viana do Castelo e recebo em dias de calor quando a propagação do sinal é propicia o emissor de Montejunto canal 49 e também recebo canal 42 e 46 mas em piores condições.
    Como estou na orla costeira o sinal do emissor mais distante chega cá em óptimas condições.
    Mesmo com as alterações continuamos com o mesmo problema que é todos os outros emissores mais distantes que os tais 62km interferem de tal forma que chegamos a estar todo o dia sem tv.
    O mais engraçado é que esta interferência já acontecia quando tinha-mos o analógico mas como apenas nos influenciava um canal que era a sic ainda tinha-mos algo para entreter, pois mas agora é imagem escura.
    Mesmo depois de anacom e PT saberem do problema e com a cambada de engenheiros e esperteza dentro desses organismos para quando o zé povinho que foi espoliado dos poucos euros que ainda restavam podem ver tv que paga religiosamente a taxa de audiovisuais na factura da luz

  24. Eu moro na regiao de Aveiro e quando o ceu esta claro sei que vai falhar o sinal mas quando o ceu tem nuvens ja consigo ver T,V sem falhas.

  25. Na minha modesta opinião, isto está feito para a maioria das pessoas passarem para canais pagos… e parece que a estratégia deles deu resultado. Infelizmente os Portugas calam-se a tudo, a isto e a coisas piores que nos estão a acontecer…
    As pessoas para não se chaterarem, na sua maioria já aderiram aos pagos… o que toda a gente devia fazer era aderirem todos e ninguém pagar …

  26. Isto e a pior porcaria que apareceu a três dias que a noite não tenho sinal viro a antena para Arouca e nada viro para Valongo e nada .

  27. Façam como eu, reclamem para a DECO e para a ANACOM. Já fui contactado por ambas e espero que resolvam a situação (junto da PT) até ao fim de Setembro. Caso não o façam terei/teremos que tomar medidas mais drásticas.

  28. Pois temos que ter alguma esperança que isto fique resolvido no mais breve espaço de tempo possivel.
    Eu já reclamo isto desde Março ( até um baixo assinado fiz correr), e ainda continua tudo na mesma.

  29. Eu practicamente desisti de sequer ligar a T.V.! Por varias razoes,mas as piores sao a falta de sinal, as fracas programacoes e a falta de respeito pelos telespectadores com as repticoes e alteracoes de series. Mas estas escolhas de fracos programas sao prepositados em conjunto pelos canais livres para as pessoas aderirem a T.V. paga.(cartelizacao)?

  30. Estou farta desta porcaria da TDT. Hoje mais um dia que estou sem poder ver televisão. Não se consegue perceber uma única palavra, só gagueja, e imagem , nada. Só cores vivas a tremer. Caramba, façam alguma coisa de bom, não é só irem buscar dinheiro na conta da electricidade. Uuffaaa… que martírio.

  31. É A REALIDADE DOS FACTOS UMA VERGONHA AS FALHAS QUE SE DÃO COM A NOVA IMAGEM TDT

  32. Depois de alguns telefonemas para a linha TDT (uma vez que a Anacom e DECO não me respondem nada de concreto) percebi que a PTC está em fase de TESTES na implementação de novas frequências, mas à mesma num esquema SFM uma vez que existem alguns transmissores do país a transmitir no canal 42 e 46 a uma potência bastante superior ao normal dos outros transmissores.

    Isto é um atestado de incompetência da PTC na implementação da TDT que só agora anda a testar a rede, 5 meses depois do sinal analógico ter sido desligado.

    Já agora refiro que recebo o sinal do transmissor da Lousã que está a + de 65km de distância, no canal 46.

  33. José Maurício Rio Moreno

    Tenho uma casa na localidade de Hortas do Tabual, município de Vila do Bispo, Algarve, acontece que quando foi do apagão (emissor da Foia) eu via TDT, e outras pessoas neste sitio, sem problemas, passados meses deixei de ter televisão. O sinal vai vem ou desaparece por completo chegam a ser horas às vezes durante dias não se vê nada ou vê-se aos bocados.
    Comprei novo equipamento, nova antena,mais moderna ,antes tinha “espinha de bacalhau”, cabos, mas de nada serviu. O problema continua.Consultando o site da TDT o mapa diz que a minha casa tem cobertura. Então porque não vejo tv???????
    Na mesma localidade há pessoas que veem sem problema, algumas casas ao lado, mesmo com novo material, nada de sinal ou com muitas falhas.
    Muitas pessoas depois de gastarem centenas de euros em novos equipamentos tiveram que voltar-se, gastando mais dinheiro, e não foi tão pouco quanto isso, para o sistema via satélite, mas o mais estranho é ver naqueles telhados montes de antenas cujos pratos das parabólicas tem o logotipo da “MEO” quando não estão com serviço de tv paga da PT (MEO). ESTRANHO; NÃO?????? é publicidade gratuita?????? ou isto quer dizer outra coisa?????
    Mas o mais caricato disto tudo é captar-se, com as antenas convencionais os 7 canais Marroquinos TDT muitas vezes sem problema algum eles estão a mais de 300km de distância. Da minha casa a Foia são 37km mais estranho ainda, pergunto eu????????
    Por outro lado dentro da cidade Lagos existem 2 retransmissores com maior potência que o emissor da Foia, porquê??????
    É uma tristeza ninguém explica nada às pessoas andamos todos a ser enganados. Alguém está ganhando com isto………….
    Moreno

  34. NAO SEI FALAR BONITO SO SEI QUE PAGUEI AS BOXS+ANTENAS+PLASMAS E FICO A VER QUADRADINHOS OS POBRES «SEMPRE A PAGAR PARA OS RICOS «QUE SE LIXE A ANACONDA QUE E MAIS DE QUE UMA COBRA E UM DINOSSAURO QUE ENCHE OS BOLSOS E CALA-SE PENSA QUE OS POBRES SAO TOLOS JA ESTAMOS EM SETEMBRO E CONTINUA TUDO IGUAL «SEI O QUE ELES QUEREM E QUE VA TUDO PARA OS PRIVADOS

  35. Gostava de saber se as antenas dos telemóveis, têm interferência no sinal TDT, porque desde que montaram uma a 100 metros da minha casa nunca mais tive sinal TDT.

    • Sim, o 4G nos 800 MHz tem influência. A Interferência não é directa, isto é, emite numa frequência diferente. O problema é que essa frequência é muito próxima e pior, está na faixa que era antigamente usada para televisão. O que quer dizer que as antenas e amplificadores captam esse sinal 4G e amplificam-no. O problema é muito piorado pelo facto de normalmente, quando se está perto de antenas 4G, o seu sinal ser tremendamente forte quando comparado com o da TDT. Resultado: o amplficador e o receptor TDT saturam com este sinal impedindo a correcta visualização TDT. Medidas a tomar: 1) diminuir o ganho do amplficador ou simplesmente desligá-lo. 2) Usar antenas mais directivas e tentar captar um emissor noutra drecçao distinta 3) usar filtros rejeita banda

  36. Fico feliz por haver gente com coragem para “perder” tempo com este tipo de estudos e que depois divulgar ao povo!
    Este país preciso de pessoas assim!
    Força… e venham mais!🙂

  37. sera possivel ainda nao preguntaram as pessoas que sao mais entressadas os tecnicos credencados que ate agora ainda nao falarao do assunto?

  38. PATHLOST,muito obrigado pelo seu esclarecimento. só não consegui entender o seu ponto 3, caso fosse possível agradecia esse esclarecimento. obrigado.

  39. Muitos Parabens, pelo bom artigo e pelas explicações que deste.
    Quando eu for ministro, quero-te a mandar na anacom, finalmente estaria alguem a traballhar lá alguem que percebe o que faz e o que diz.

  40. Pingback: TDT: rede temporaria « Tv digital… Tudo o que precisa de saber!

  41. e so chulos aqui em portugal

  42. castelo branco – vila velha de rodao –aldeia de foz do cobrao — nao se ve televisao se nao pagar as redes privadas nao sera uma vergonha para que serve afinal a T D T. vargas

    • Não percebo nada de assuntos técnicos, apenas posso emitir opinião de leiga consumidora. Penso que a instalação da m antena estará correcta porque tem havido períodos de tempo em que se vê bem sem interferências, mas, não sei qual a razão, de há cerca de 15 dias a esta parte, está constantemente a parar a imagem, a ficar sem som, a ficar com a imagem cheia de riscos de cores (digno de Picasso), demorando às vezes minutos a voltar ao normal. Penso que estamo metidos no meio de interesses que não são os dos espectadores/consumidores, para nos obrigarem a passar para a tv paga. Penso que não é honesto, pq já pagamos mais do que suficiente na taxa entregue à EDP. Veja-se em Espanha, em que praticamente todos os canais são emitidos livremente no País, antes e depois da TDT, mas aqui estamos sempre na mão de monopólios.
      Cumprimentos
      A. Coimbra

  43. Penso que um numero significativo de reclamações se deve a instalações defeituosas (fraca qualidade de materiais aplicados, conecticas deficientes, distribuições deficientes) o alinhamento das antenas deverá ser efectuado com um medidor de campo (que faça medida de ecos) pois só assim se consegue uma instalação optimizada.
    Alguns técnicos ainda instalam antenas a olho ou com “medidores” que só lhes dá o nivel de sinal ( o mais importante em TDT não é o nivel de sinal mas sim MER e BER e ausência de ecos ).
    Não quero com isto dizer que PT e ANACOM não têem responsabilidade em muitas situações de recepção deficiente, mas sim que não atribuam sempre a culpa aos mesmos, quando muitas instalações não estão nas devidas condições.
    Quanto ao 4G (LTE) que tem provocado problemas em grande parte das instalações, normalmente resolve-se com colocação de um filtro entre a antena e o amplificador.
    Informem-se com técnicos credenciados. com conhecimentos e equipamentos adequados.

  44. É impossível desenhar uma instalação óptima, ao depender de tantas variáveis e condições em constante alteração. Que o fenómeno “DX,” como é chamado no mundo do radio-amadorísmo, se iria verificar também na televisão emitida sob o suporte de modulação TDT, era mais do que previsível. Apenas a incompetência (de que duvido), a soberba ou uma forma qualquer de corrupção poderia ter conduzido a esta solução. Foi um deitar fora de mais de cinco décadas de experiência na transmissão da TV analógica em Portugal. Que há reflexões, os velhos fantasmas de antigamente, ou intermodulações de outros emissores na mesma frequência, é ultra sabido, passe a expressão. As barras de interferência sobre a imagem, ver-se uma outra imagem por detrás, ver-se duas imagens sobrepostas etc, eram fenómenos tão conhecidos e dependentes das variações atmosféricas que já nos tínhamos habituado a orientar as antenas, a procurar outros emissores a emitir em frequências alternativas, e até em sítios mais complicados, a ter que gerir quais os emissores a ver em determinadas horas. Que os sinais digitais, tão ciosos de parâmetros rigorosos iriam sofrer dos mesmos fenómenos, e pela sua natureza, ter implicações mais graves, era mais do que previsível.
    A localização dos antigos emissores situados em pontos altos, cobriam áreas consideráveis e representavam um património de experiência e estatística histórica sobre os fenómenos atrás descritos.
    Meter emissores a eito a emitir em potências bem acima do que se pode considerar seguro para a saúde pública (lembremo-nos das polémicas em redor das antenas de telemóveis, bem abaixo das potencias TDT) é um disparate pegado. É uma espécie de começar de novo e inventar o que já está inventado.
    Para mim, a solução seria essa, a que foi descrita_: redes multifrequências de novo instaladas nos pontos onde antes estavam os emissores analógicos. Que aqui ou ali, pontualmente se reforçasse uma ou outra situação com um emissor local a emitir em baixa potência e em frequência alternativa, seria obviamente ponto de ponderação.
    Agora, esta asneira colossal apenas persiste por uma teimosia, ou… quem sabe, alguma, ou algumas coisas de que não quero falar… mas que ao serem verdade podem cheirar certamente muito mal.
    O que é certo é para já a imensa despesa que implicou esta rede de frequência única e a despesa a que acresce o redesenho multifrequências e a recolocação dos emissores nos sítios de onde nunca deveriam ter sido removidos.

  45. tenho muitas falhas de sinal ha 5 dias…. março de 2014. Que fazer??

  46. Estamos em 2014 e o sinal em Lagoa (Algarve) ainda é MUITO deficiente e tem piorado. Era suposto evoluirmos, mas não, deixei de poder ver tv em condições e não estou interessada em colocar tv por cabo.

  47. Meus caros concidadãos. Começo por felicitar o autor do post que deu origem a esta (discussão) e dizer que, ao contrário dos supostos conhecedores da temática, conseguiu de forma sucinta e compreensível para os leigos na matéria relatar as principais causas das falhas na recepção da TDT.
    Pois bem. Não é hábito meu fazer comentários em blogues mas, neste caso, e porque o assunto é de veras pertinente, vou dizer algo que talvez ajude a uma melhor compreensão do fenómeno.
    Ao contrário dos muitos comentários que tenho visto e ouvido, não é apenas agora que estamos mal servidos em termos de televisão porque já com as emissões analógicas existiam imensos problemas. Desde o problema da duplicação da imagem devida à reflexão até à sobreposição de imagens (os famosos fantasmas) e aproveito para explicar as principal causa do fenómeno que se devia ao elevado desnível de sinal entre as diversas frequências em que eram emitidos os 4 canais de televisão, culpa das entidades responsáveis que não supervisionam estes parâmetros.
    Quando começaram as emissões da TDT na zona de Leiria que é onde vivo tratei de imediato de refazer toda a minha instalação de recepção de televisão com o intuito de a adequar à recepção DIGITAL e, por essa via, ter melhor qualidade de imagem nos televisores que possuo.
    Comprei na altura um descodificador (box) para a TDT que custou 240€ que tem um som e uma imagem de altíssima qualidade que hoje funciona na perfeição e fiquei realmente encantado com a TDT que à data emitia em canal 67 sinal que provinha do emissor do Monte do Facho perto de Leiria e enquanto durou a emissão neste canal nunca tive uma falha digna de registo. Após a migração para o canal 56 começaram os problemas ainda que pouco frequentes mas com a instalação e activação do emissor da Serra da boa viagem (Figuira da Foz) foi um calvário até ao dia em que activaram de novo os emissores da Lousã e do Monte Junto que emitem em canal 46 e 49 respectivamente e cuja activação me foi dada a conhecer pela Televés e não pelas entidades competentes que deviam publicar estas informações através da Comunicação Social mas que nada fazem. Com a reorientação e regulação do nível de sinal tenho actualmente uma recepção isenta de problemas em quaisquer condições atmosféricas. No entanto tenho conhecimento de que quem continua a receber a emissão dos emissores do Facho ou da Serra da boa viagem ambos situados em zonas muito propensas à ocorrência de nevoeiro fica sem emissão sempre que este se verifica.
    Dito isto devo acrescentar que é realmente lamentável a situação em que nos encontramos e é mais lamentável ainda que os nossos governantes não façam nada no sentido de a melhorar. Penso no entanto haver no povo português um déficite crónico de cidadania porque facilmente se ouvem num qualquer café ou estabelecimento similar, pessoas a vociferar contra tudo e contra todos acerca das más condições de recepção da TDT contudo, se perguntarmos quantos se manifestaram junto das autoridades competentes as percentagens são muito reduzidas apesar de qualquer cidadão ter vários canais e formas de o fazer gratuitamente.
    Outra questão assaz pertinente, que quanto penso seria injusto da minha parte não lhe fazer referência, é à qualidade das instalações e materiais utilizados nas mesmas e também à qualidade dos receptores sejam eles integrados nos aparelhos de televisão ou não. Poucas serão as pessoas que na hora de comprar um televisor ou descodificador (Box)perguntarão ao vender qual a qualidade do sintonizador ou do processador do aparelho. Em vez disso perguntam se é HD ou 3D de que depois na prática não vão usufruir por má qualidade dos dois factores que acima referi.
    Nos mais de 25 anos que tenho de experiência em instalações de antenas de rádio e televisão tenho encontrado de tudo desde pessoas que não se importam de pagar várias centenas de euros na compra de um aparelho de televisão mas quando se trata da instalação das antenas e respectiva rede de distribuição se recusam a pagar a um instalador qualificado 100, 200, 300 ou até mais euros. Neste campo ocorre-me dizer o seguinte: Para ter uma imagem de qualidade não basta ter um bom televisor tem de se ter uma instalação bem construída tanto no campo da recepção como no da distribuição.
    Outra questão não menos importante é a qualidade dos materiais comercializados que embora na sua grande maioria tenham o rótulo a garantir todas as normas exigidas para a recepção e distribuição dos sinais TDT, quando analisados aprofundadamente nem 50% deles as cumpre.
    Dou alguns exemplos. Um descodificador deve possuir uma blindagem adequada para obstar a interferências externas no entanto, já tenho feito testes a determinados modelos de descodificadores (Box), que aliás qualquer um pode fazer, que com uma simples chamada de telemóvel deixam de dar imagem e em alguns casos chegam mesmo a desligar. O mesmo acontece com alguns televisores, antenas amplificadores, cabos fichas, etc de menor qualidade. Poderia passar horas a enumerar possíveis causas para as deficientes condições da TDT porém, acho que já me alonguei demasiado na questão.
    Cumprimentos a todos os intervenientes e aguardo novos comentários.

  48. Não consigo ver televisão por falta de sinal TDT
    vivo na trav da gafa n.17 4485-472 mindelo vila do conde

    • António Teixeira

      Boa noite cara Carla. Estive a consultar o mapa de cobertura que a PT disponibiliza e a informação nele contida indica que a zona onde vive tem cobertura TDT contudo esta informação não é muito fiável porque no meu dia a dia é frequente deparar-me com situações em que o mapa indica cobertura o que depois na prática não corresponde à verdade.
      Caso esteja interessada em mais esclarecimentos envie-me um mail para teixeira3923@gmail.com e de bom grado lhe darei mais informações e instruções sobre os procedimentos a seguir.
      Cumprimentos; Teixeira.

    • Boa noite Carla Oliveira,
      Na sua zona deveria ter boa recepção de sinal tdt.
      Provavelmente terá algum problema na instalação, se tem algum técnico abitual relate-lhe o seu problema.
      Se desejar contactar-me para analisar a solução para o seu problema, aqui tem o meu mail maiaematos@netcabo.pt
      Cumprimentos

  49. Antes de mais, obrigada por um artigo bastante interessante.
    Estou em Reguengo do Fetal (concelho da Batalha, distrito de Leiria) e há dias em que a televisão é impossível de ver, quase só passa slides e imagens aos quadradinhos. Como é raro estar por aqui nunca tinha dado muito pelo problema, mas agora que é Verão é realmente frustrante. Como pouco percebo do assunto, há algo que possa fazer para minorar o problema? Subir mais a antena, algo do género?
    Desde já fico grata por qualquer sugestão.

    • Boa noite Luna.
      Como pode verificar nos posts acima há imensas causas prováveis para as falhas na recepção da TDT. O melhor conselho que lhe posso dar é o de chamar ao local um técnico competente que possua equipamento adequado para fazer medições e pedir-lhe um parecer porque pode acontecer estar num local sem cobertura ou com cobertura deficiente e nesse caso pode, caso queira, instalar um sistema de recepção via satélite que lhe resolve o problema em definitivo.
      Cumprimentos.

  50. Olá,
    Gostei muito desta explicação sobre interferências na tdt. No meu caso eu estou a sofrer com interferências de sinal refletido. Como vivo numa zona de montanha e não tenho, apesar de o emissor estar perto, uma visão direta deste, estou a receber o sinal da tdt de forma direta, como deve ser normal, e ao mesmo tempo de forma refletida nas serras que me rodeiam. Esta situação, no meu entender, deve ser a responsável por provocar perturbações no sinal recebido durante alguns períodos do ano. Será que o meu pensamento está correto, e se sim, o que devo fazer para evitar esta situação?

  51. Isto dos TDT é uma pouca vergonha e mais quem inventou isso, porque quando ainda não existia os TDT a imagem não falhava e agora falha e o problema é que falha durante muito tempo.

  52. José Maurício Rio Moreno

    Boa tarde
    Chegou o mês de maio e os problemas da TDT na zona de Sagres começaram a surgir como já é habitual. Mas em compensação temos os canais marroquinos quer digital quer analógico em grande.

    Maurício

  53. Maria de Lurdes Correia

    Boa Tarde
    Esta situação é uma vergonha, vivo na zona de condeixa a velha e ultimamente tem havido imensas falhas de sinal da TDT.
    Tudo isto para obrigar as pessoas a comprarem pacotes pagos. País de interesses…. Não quero televisão paga e tenho direito aos 4 canais, para os quais tenho de pagar na fatura da electricidade. Não enganem mais o povo.

    Lurdes

    • A TDT foi uma excelente ferramente para nos poder-mos medir o nível da nossa suposta ‘Democracia’ . Os problemas da TDT não são so com as falhas de sinal . Os conteúdos que passam nos canais em sinal aberto sua qualidade cada vez pior , quando não são repetiçoes de repetições . Quase parece que existe um cartel entre os 3 canais de sinal aberto para empurrar as pessoas para serviços pagos devido devido aos fracos conteúdos em sinal aberto .

  54. Gostei do artigo e concordo com os comentários e explicações apresentados no Blog. Sem dúvida que a transferencia de sistema foi mal feita, quase em segredo e extremamente mal divulgada e desenhada. Parece mesmo feita em cima do joelho…do final do prazo previsto e imposto pelo UE.

  55. Boa noite. Moro em loulé (sitio do areeiro)e até à uma semana atrás tinha sinal tdt. Uso uma antena interior e um amplificador de sinal e o aparelho tdt ja vem incorporado na tv. Uso este metodo a cerca de 3 anos e tem funcionado muito bem. Há a possibilidade de a parabólica do vizinho interferir no sinal? Ele chegou cá ainda nao deve ter feito 1 mês….

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s